Comunicar é evangelizar

Comunicar para evangelizar

Foto: Joka Madruga


Por Pe. Luiz Kleina


Tudo o que sabemos e conhecemos chegou até nós através da comunicação. Tão importante quanto a mensagem a ser transmitida – a Boa Nova, a Verdade – os meios e a linguagem a serem utilizadas precisam ser adequados ao tempo e ao público.


Nosso Senhor Jesus Cristo, além de ser nosso Redentor também foi interlocutor do Pai em nosso meio. Durante o tempo em que esteve entre nós, utilizou-se de todos os recursos disponíveis na época para que fosse possível a nós, seus ouvintes, compreender. Através de parábolas, pregou em templos e eventos, mas também esteve nas montanhas, no mar, no deserto. De sinais na areia, atitudes, discursos, tudo foi pensado a se fazer compreender por todos. Esta também deve ser uma preocupação nossa, discípulos de Jesus.


Em seu discurso inaugural em Aparecida, o Papa Bento XVI enfatiza “não se deve limitar somente às homilias, conferências, cursos de Bíblia e Teologia, mas se deve recorrer também aos meios de comunicação: imprensa, rádio e televisão, sites de internet, foros e tantos outros sistemas para comunicar eficazmente a mensagem de Cristo a um grande número de pessoas”.


A questão nunca foi “o que” e sim “como” evangelizar. Certos de que a mensagem a nós, cristão, é clara. Papa Paulo VI, na Exortação Apostólica Evangelio Nuntiandi (1975) nos revela que a pergunta “como evangelizar” é sempre atual e pertinente, uma vez que além do fator tempo, temos ainda as questões culturais e suas geografias. Reitera, o Santo Padre, a especial missão com o cuidado ao remodelar, com ousadia sim, mas muita prudência, para que se mantenha fidelidade total ao conteúdo. Ou seja, o Evangelho perpassa todos estes critérios: tempo, cultura, espaço. “Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e para sempre” (Hebreus 13:8).


Pode parecer controverso, mas a síntese é de que os meios não podem alterar a mensagem. Sabemos que é um desafio, pois cada uma das ferramentas atuais de comunicação possuem suas próprias características. Mas o que nós, cristãos, não podemos perder de vista é o Norte, Jesus. Ainda, além da questão própria dos meios, perpassa a “concorrência” que temos na atualidade. Somos bombardeados de informações a todo momento. Desde o instante em que abrimos os olhos ao acordar, em nossa casa, no caminho para o trabalho, com os amigos. Hoje conversamos com o celular na mão, em frente à tvs e rádios. Nem nos elevadores estamos livres de receber informação. Cabe a nós, ter um posicionamento ativo e positivo quanto a esse universo de possibilidades. A mensagem tem que ser atraente, se destacar. Ora, mas como fazer isso se a mensagem não muda? Essência!


“Ide, pois, e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo” (Mateus 28, 19-20)


Ainda seguindo o documento do Papa Paulo VI, ele descreve os meios de difusão por técnicas audiovisuais (cinema, rádio e televisão – aqui vale incluir em nosso tempo as redes sociais) como verdadeiros caminhos para a transmissão de valores humanos e sobretudo espirituais, concluindo, portanto, uma eficaz forma de estar dentro da sociedade moderna.


Em resumo, mais do que a “permissão”, como discípulos do Mestre, temos a missão de ir ao encontro de todas as nações. Sejam elas online ou offline. Jesus pede a todos nós para sermos, não só seus seguidores, mas discípulos. Isso implica em evangelizar. A todo momento podemos, através do que temos à mão, seja um celular, nossa página nas redes sociais, acesso a pequenos ou grandes eventos. Evangelizar é a nossa missão!


Comunicar para Evangelizar

Em resposta ao chamado de comunicar para evangelizar, a Arquidiocese de Curitiba voltou os olhos para a Comissão de Comunicação. Desde o último ano, além de ampliar a atuação, que perpassa pelas 15 comissões, realiza um trabalho diário de reflexão para se adequar e atender de forma mais eficiente o chamado de Cristo.


Em 2018, Padre Kleina recebeu a missão de coordenar a comissão de comunicação. Formado em Relações Públicas e com experiência nos meios de comunicação em massa, colocou seus dons à serviço desta arquidiocese.


Dentre as ações imediatas já implantadas está a Escola de Comunicação Itinerante. Uma ação que visa a formação e motivação de Pastorais de Comunicação em todas as paróquias. Hoje, pouco mais de um terço das paróquias possuem agentes pastorais voltados à comunicação. O objetivo é de que em breve, esse número chegue próximo da totalidade de paróquias.


Aconteceu ainda o Bate Papo do Dia Mundial das Comunicações Sociais. À luz da mensagem do Papa Francisco, comunicadores de diversos segmentos encabeçaram mais de duas horas de conversa sobre a importância da comunicação para a evangelização.


E com o olhar no horizonte, a Arquidiocese está elaborando um Plano de Comunicação Estratégica, que iniciará com uma grande avaliação do cenário global e local da aderência dos atuais meios utilizados, assim como a intercomunicação entre clero e leigos, setores e paróquias. A partir deste trabalho, serão possíveis ações otimizadas e processos de maior unidade entre toda a autarquia.


Todas estas ações visam seguir o direcionamento de Jesus Cristo e ir ao encontro de todos quanto for possível, levar a Palavra.


Pe. Luiz Kleina é o Coordenador da Comissão de Comunicação da Arquidiocese de Curitiba

Posts recentes

Ver tudo

Destaques