top of page

Páscoa é correr juntos

É preciso fazer a passagem dos interesses supérfluos para a aliança definitiva com Deus

Foto: Pixabay


No domingo de Páscoa, diz o texto de Jo 20,1-9, após o anúncio da Madalena, que Pedro e o outro discípulo correram juntos para atestar o vazio do túmulo. Esta cena me parece oportuna para entrar no tema da Ressurreição. Com a vitória de Cristo sobre a morte, inaugura-se um novo tempo na humanidade. Agora os cristãos têm motivos para anunciar o Messias. A Igreja que foi sendo construída desde a Anunciação e recebeu das pregações de Jesus a força para sua doutrina, chega no ponto decisivo de entregar-se à obra. Cruz e Ressurreição representam a maturidade eclesial que no Pentecostes sairá com toda força até os confins do mundo.


Correr juntos é sinal de entrega, de unidade, de confiança nas palavras do Mestre. A Páscoa representa a comunhão da Igreja que anuncia seu Salvador tendo um só coração, sentimento e alma. A Páscoa é a chave do reino dada aos apóstolos para conduzir a humanidade de volta ao Pai. Precisamos urgentemente rever a bela espiritualidade da unidade eclesial para continuar professando a fé na ressurreição. Parece que os cristãos estão dormindo no sepulcro à espera da segunda vinda de Cristo sem viver a primeira. Ele está no meio de nós, único e verdadeiro. Ele alimenta nossa esperança e conforta nosso coração transpassado pela tristeza. Ele nos quer unidos, correndo juntos, anunciando juntos, quer que separemos o joio do trigo, nossas questões pessoais daquilo que o Evangelho anuncia.


É preciso fazer a passagem dos interesses supérfluos para a aliança definitiva com Deus, e isto, só é capaz quando a coragem de rolar a pedra do túmulo for maior do que a pertença às vaidades. “Lançai fora o fermento velho, para que sejais uma massa nova” (1Cor 5,7), um coração novo que caiba a fraternidade. Só anuncia o Ressuscitado quem passa pela verdade, quem o encontra no jardim da vida, quem o vê no próximo e contempla com respeito a dignidade ferida. Que esta Páscoa nos dê a graça de renovar a unidade com o Corpo Místico de Cristo. Somos a Igreja do Cristo Ressuscitado, corremos no mesmo passo do amor, vivemos para Ele!


Paz e bênçãos, aleluia. Feliz Páscoa!


Pe. Nilton Cesar Boni, cmf

Missionário Claretiano, sacerdote, formador do Filosofado Claretiano em Belo Horizonte/MG

Comments


Destaques

Anuncie aqui
bottom of page