Buscar

Santa Gala

06 de abril

Transcorria o período de violências, que causou a decadência do Império Romano do Ocidente (476). Quinto Aurélio Símaco, patrício romano, ao ser eleito Prefeito de Roma, em 476, tentou manter boas relações com os soberanos Bárbaros. Tornou-se Cônsul, em 485, e, depois, também chefe do Senado, até à ruptura definitiva com Teodorico, que o condenou à morte em 525. Quinto Aurélio tinha uma filha, Gala, casada com um nobre romano, de nome desconhecido, mas, depois de apenas um ano, ficou viúva.


Coragem de recomeçar na fé

Após o período de luto, muitos membros da família pedem para Gala encontrar um novo marido. Mas, ela, que conseguiu abrandar a sua grande dor, ancorando-se na fé, tinha outros planos.

A jovem, que não morava muito longe da igreja de São Pedro, a começou a frequentar, todos os dias, dedicando muito tempo à oração. Além do mais, começou a dedicar-se ao jejum e, sobretudo, à filantropia e a muitas outras santas obras de caridade para com os necessitados, que sempre eram numerosos. Em pouco tempo, decidiu consagrar-se totalmente ao Senhor, retirando-se para um mosteiro, não muito distante, "na simplicidade do coração", como descreveu São Gregório.

Enfim, a corajosa decisão de Gala ultrapassou os confins de Roma, tanto que, da Sardenha, São Fulgêncio, onde estava exilado, escreveu-lhe uma linda carta – uma espécie de tratado - na qual animava a mulher e outras viúvas a fazer escolhas transparentes e corajosas: "De statu viduarum". Santa Gala faleceu em 550.


Culto de origens antigas

Animada pelos conselhos ascéticos e pelo apoio, recebidos à distância, entre os quais os de São Fulgêncio, Gala prosseguiu firme na sua vida monacal, que logo se transformou em odor de santidade.

Segundo as fontes, além da ajuda que prestava os enfermos e necessitados, Gala tinha frequentes visões da Virgem, representadas em uma valiosa obra de arte, conservada na igreja de Santa Maria em Campitelli, em Roma. Além disso, também São Pedro lhe apareceu, quando moribunda, convidando-a a ocupar o lugar, ao seu lado, que lhe cabia no céu.

A igreja de Santa Maria, no pórtico, provavelmente construída no lugar onde Gala morava e a ela dedicada, foi destruída, por volta de 1930. Hoje, há uma paróquia, dedicada a Santa Gala, ao longo do anel da Via Ostiense.


Fonte: Vatican News

Clique aqui para conhecer mais histórias de outras santas e santos.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo