top of page

CF propõe mudança pessoal e comunitária


Arcebispo de Curitiba durante coletiva de lançamento da Campanha da Fraternidade. Foto: Pascom Arquidiocese de Curitiba


A proposta da Campanha da Fraternidade 2024 (CF), que traz a amizade social como tema central, foi apresentada pelo episcopado brasileiro nesta Quarta-Feira de Cinzas (14) com base em três grandes metas: incentivar o olhar sobre as situações de inimizade, impulsionar as pessoas a iluminar-se pelo Evangelho que as une como família e agir conforme a proposta quaresmal de conversão constante, promovendo o esforço para uma mudança pessoal e comunitária.

 

"É desejo dos bispos que essa Campanha da Fraternidade seja curadora das nossas relações. Que nós aproveitemos o remédio da amizade social para curar as nossas relações crescendo e nos convertendo cada dia mais a fraternidade universal", disse o padre Jean Paul Hansen, secretário-executivo de Campanhas da CNBB, durante o lançamento da CF. A campanha completa 60 anos de mobilização em 2024 e dá início ao período da Quaresma.

 

Neste ano, a campanha tem por tema “Fraternidade e Amizade Social” e o lema “Vós sois todos irmãos e irmãs” (Mt 23,8), com inspiração na Encíclica Fratelli Tutti, do Papa Francisco. Em sua mensagem para a CF 2024, Papa Francisco classifica a campanha com um itinerário de conversão que une fé e vida, espiritualidade e compromisso fraterno, amor a Deus e amor ao próximo, especialmente àquele mais fragilizado e necessitado de atenção.

 

“Desejo que a Igreja no Brasil obtenha bons frutos nesse caminho quaresmal e faço votos que a Campanha da Fraternidade, uma vez mais, auxilie às pessoas e comunidades dessa querida nação no seu processo de conversão ao Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, superando toda divisão, indiferença, ódio e violência”, escreveu Papa Francisco.

 

Dom Wilson Tadeu Jönk, arcebispo de Florianópolis (SC), lembra que tema da CF 24 não apresenta um problema social, mas aponta para um caminho para tratar os males sociais dos tempos atuais. “Continua, no entanto, a abordar uma situação social que merece uma atenção mais acurada. A amizade social é remédio para superar o momento de fortes polarizações”, afirmou.

 

Motivação na fé - O arcebispo metropolitano de Curitiba (PR), dom José Antônio Peruzzo, disse durante o lançamento da CF 2024 que a campanha têm motivação em experiências de fé e não em razões ideológicas. “A Campanha da Fraternidade, que dá início à Quaresma, reforça o sentido desse tempo de conversão e penitência, já que não adianta fazer sacrifícios, mas continuar indiferente à dor de um irmão”, disse dom Peruzzo.


Sobre o tema, que trata da amizade social, dom Peruzzo destacou que a CF lança luzes sobre a reconciliação, em tempos de conflitos por causas muitas vezes pequenas. “De maneira desarmada, com olhos voltados à fraternidade, podemos vivenciar a Quaresma sem conflitar com quem é diferente”, acrescentou o arcebispo.


A coordenadora da CF na Arquidiocese de Curitiba, Salete Bagolin Bez, disse que a campanha só tem sentido quando acontece no dia a dia, contribuindo com a transformação de realidades. “A campanha nos propõe um olhar sobre a realidade das desavenças que permeiam nossas famílias, comunidades e a sociedade em geral. O objetivo da campanha é evidenciar a beleza da fraternidade humana e nos motivar a mudar comportamentos”, destacou.

 

60 anos - A Campanha da Fraternidade é, desde as suas origens, há 60 anos, uma ação evangelizadora da Igreja no Brasil. Desde o início, em 1962, na arquidiocese de Natal (RN) e, depois, a partir de 1964, em todo o Brasil, nunca faltou à CF a preocupação com o tema, para que, em ambiente quaresmal, se alcance o coração dos cristãos, fazendo-lhes retornar ao coração do Evangelho.  

 

Com informações e imagens: cnbb.org.br / arquidiocesedecuritiba.org.br

Comments


Destaques

Anuncie aqui
bottom of page