Santa Maria de Loures

Segundo domingo de outubro


Desde o princípio do cristianismo é comum as comunidades cristãs escolherem um santo, um arcanjo, uma das Pessoas da Santíssima Trindade ou a Mãe de Jesus, Maria, como protetores de suas localidades, dos espaços de culto ou das próprias comunidades. Esta tradição, permanece nos dias de hoje, afirmando a importância que o modelo de santidade tem para os cristãos, não só como estímulo de aperfeiçoamento pessoal e comunitário, mas também como consciência de que, nestes exemplos de entrega, Deus protege e está sempre presente, porque ama.

Assim como a Europa ocidental medieval, também a comunidade local cristã de Loures assumiu como padroeira da igreja matriz a Mãe de Jesus sob a invocação de Santa Maria de Loures. No entanto, não tendo a representação de qualquer símbolo associado, aparece somente sob a tradicional invocação de Nossa Senhora da Assunção, tão presente nas catedrais portuguesas, igrejas paroquiais e nos mosteiros cistercienses. Esta opção está patente no interior da igreja, quer pela representação iconográfica no medalhão central do teto da nave central, onde consta inscrita a data de 1742, quer pela figuração numa belíssima imagem de madeira esculpida do mesmo período.

Já na primeira década do século XXI, a paróquia assumiu a distinção entre as representações imagéticas de ambas as invocações marianas, para melhor entendimento sobre os seus significados.

Por um lado, Santa Maria de Loures está hoje representada através de uma imagem de roca, típica no século XIX, possuindo dois conjuntos de vestido e manto: um do século XVIII, com brocado de seda, tendo a toda a volta um galão de prata e fio metálico; e outro, do século XXI, de damasco e fio metálico dourado. Atualmente esta imagem de Santa Maria de Loures, simples na sua composição, encontra-se à veneração na entrada da igreja. Por sua vez, Nossa Senhora da Assunção, padroeira da igreja matriz, surge, como referido antes, em imagem de madeira talhada, do século XVIII, estofada a ouro, e elegantemente composta. Esta imagem mostra Maria, a Mãe de Deus, sustentada sobre Anjos, como que revelando o mistério da sua assunção, isto é, elevada ao Céu com especial privilégio entre toda a humanidade por ter aceite ser a Mãe do Senhor. Tem ainda como ornamento simbólico deste mistério um resplendor de prata, de simples feitura, composto de estrelas, recordando a referência à “mulher com uma coroa de doze estrelas” do Livro do Apocalipse (12, 1-6), aludindo a Maria com aquela que une em si o tempo e a história da Salvação por meio do seu filho, Jesus Cristo.

Ainda que a data da padroeira coincida com a solenidade da Assunção da Virgem Santa Maria, celebrada a 15 de agosto, por motivos de ordem pastoral, e por muitos estarem deslocados durante os meses de verão para férias, a celebração das festividades em honra de Santa Maria de Loures foi transferida para o segundo fim de semana de outubro. Será pertinente ainda referir a falta de coincidência entre as celebrações da padroeira e as festas do município de Loures: outrora, devido à existência de uma capela em honra de Santa Ana no centro da povoação, a Mãe de Maria tornar-se-ia, por decreto real de 1886, a padroeira da cidade de Loures, sendo celebrada a 26 de julho.


Fonte: Paróquia de Loures

Clique aqui para conhecer outros títulos de Nossa Senhora.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo