Ordem dos Cônegos Regulares Premonstratenses


A Ordem Premonstratense foi fundada por São Norberto (nascido no ano de 1080, em Xanten, situado no Baixo Ren) em 1121 no vale de Premontré (“mostrado antes”), um lugarejo isolado na floresta de Coucy, na diocese de Laon, França.


Os “cônegos regulares de Prémontré contribuíram significativamente ao desenvolvimento e à vida da Igreja, sobretudo na Europa”.


Na Idade Média, umas 400 casas da Ordem se repartiam desde as nórdicas terras da Noruega até a Palestina, exercendo uma considerável influência na cultura ocidental da época.


Em Portugal, estabeleceram-se na Ermida de Paiva e provavelmente na abadia de Vandoma, mas a sua história está deficientemente registrada. Como exemplo de uma abadia premonstratense, pode-se considerar a Abadia de Easby, em Inglaterra (onde a Ordem se estabeleceu em 1140, em Newhouse, no Lincolnshire).


Atualmente a Ordem conta com mais de 1600 integrantes, entre sacerdotes, diáconos, noviços, irmãs e irmãos religiosos, em 23 países, nos 5 continentes.


A Ordem, que estendeu a sua presença em várias partes do mundo, une a vocação contemplativa a uma vida apostólica a serviço da Igreja.


“Assim como o chamado à renovação feito pelo Papa Gregório VII foi abraçado por São Norberto, do mesmo modo hoje a Igreja pode olhar para os seus filhos espirituais para contribuir com entusiasmo aos desafios apresentados pela pregação do Evangelho no alvorecer dos nossos dias.


“A busca de novas formas de apostolado requer um compromisso genuíno para imitar, no espírito do fundador, o exemplo da Igreja primitiva, vivendo e promovendo o ideal de um só coração e de uma só alma”. E justamente a figura de São Norberto, nascido em 1080, em Xanten, na Alemanha, constitui um sinal de esperança por um “mundo caracterizado por formas exageradas de individualismo e de fragmentação social”.


Fonte: Site da Ordem dos Cônegos Regulares Premonstratenses

3 visualizações0 comentário

Siga nossas redes sociais

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

“Cristo é simultaneamente o conteúdo e a fonte do que a Igreja comunica ao proclamar o Evangelho”.

 

Aetatis Novae, Instrução Pastoral do Pontifício Conselho Para as Comunicações Sociais.