Buscar

Nossa Senhora do Carvalho

Atualizado: 5 de Nov de 2020

Segundo domingo de setembro

Em 1417, Battista Juzzante, operário da fábrica de Viterbo, município da Itália, ele tinha uma imagem da Virgem Maria com o Menino Jesus pintada em um azulejo pelo Maestro Martello conhecido como Monetto; Nossa Senhora, com manto avermelhado e manto azul, apóia o Divino Filho com o braço direito e envolve-o com o esquerdo, vestida com uma pequena túnica entre o branco e o amarelo.

O Menino segura uma pequena andorinha na mão direita e apóia a esquerda no seio da Mãe para o qual olha, como a indicar o desejo do Filho de cumprir todos os pedidos da Mãe.


Battista pendurou o artesanato em um carvalho, que ficava na beira de um de seus vinhedos, ao lado da estrada que ia de Viterbo a Bagnaia.

Lá ela permaneceu por cerca de 50 anos, sem ninguém prestar atenção nela; apenas algumas mulheres, que passaram por Ela quando foram para a cidade para seus negócios, pararam para fazer algumas orações, deixaram algumas flores e montaram um pequeno tabernáculo natural que uma videira selvagem, agarrada ao carvalho, havia feito.


Em julho de 1467 um cavaleiro de Viterbo que tinha numerosos inimigos na cidade, foi surpreendido por quem estava fora das muralhas sozinho e desarmado. O homem, sem saber enfrentar o perigo, fugiu para a mata que cercava Viterbo.


Cansado e desesperado, enquanto a esta altura estava dominado pelo cansaço, ele viu a Santa Imagem de Maria sobre o carvalho. Se jogou, então, ao pé da árvore e, abraçando o tronco com grande fé, colocou sua vida nas mãos da Mãe Celestial.


Os inimigos, chegaram debaixo da árvore e não o viram, mesmo ao tocarem repetidamente na árvore. Depois de fazer uma pesquisa cuidadosa, cansados e decepcionados eles foram embora.


O Cavaleiro agradeceu a Nossa Senhora e falou sobre o milagre recebido para toda Viterbo.


Ainda em 1467, durante os meses de verão, toda a Etrúria Meridional foi atingida pelo maior flagelo daquela época: a peste.


Em todos os lugares havia mortos e pessoas nas ruas chorando e lamentando.


Muitos, como se lembrados por uma voz misteriosa, relembrando o milagre do Cavaleiro de Viterbo, correram para baixo do carvalho para invocar a Nossa Senhora, que foi imediatamente chamada de "Madonna della Cerqua".