Com publicações de calendários à filosofia, Editora Vozes completa 120 anos de história


Com um catálogo diversificado e fincado em sólidos pilares que a acompanham desde sua fundação, a Editora Vozes completa, no dia 5 de março, 120 anos de história

Fundada em Petrópolis, Região Serrana do Rio de Janeiro, por Frei Inácio Hinte, a Vozes já passou por diversos períodos históricos e desafios que o mercado apontou ao longo dos anos. A força da empresa centenária vem de fomentar valores fundamentais para a evolução e crescimento do negócio, sempre em parceria com o leitor.


“Não há mercado literário sem aquele que consome os livros. E esse foi, e continuará sendo, o resultado mais importante para a consolidação da Editora: a relação de respeito, transparência, responsabilidade, atendimento e entrega de valor e conteúdo ao leitor e aos nossos parceiros”, explica o gerente de vendas Teobaldo Heidemann.


A pluralidade do catálogo também é um dos pontos expressivos para a longevidade da Editora petropolitana. Suas publicações vão desde produtos sazonais, como a Folhinha do Sagrado Coração de Jesus, que é publicada há mais de 80 anos, até os clássicos da Filosofia, Antropologia, Teologia e Espiritualidade.


Ao longo dos anos, a história e a trajetória foram atualizadas, de acordo com as necessidades dos leitores e do mercado editorial. O desenvolvimento das redes sociais, e-commerce, produção de conteúdo, cursos, eventos e as mais atuais e renovadas lives trouxeram renovação e desafios para a Editora – desafios esses que foram encarados com sentimentos de coragem e responsabilidade em honrar os muitos anos de trabalho e conquistas, sempre com o objetivo de entregar valor e conteúdos diferenciados aos leitores.


Para colaborar com a missão que a Editora tem, as livrarias Vozes, presentes no ambiente virtual e em 16 cidades do país, entregam o atendimento, exposição e distribuição das obras publicadas pela Vozes com a mesma excelência que esta busca em suas publicações e produtos produzidos.


Com excelência e simplicidade, através de um catálogo recheado de nomes importantes do universo da leitura, a Editora celebra mais um ano promovendo o conhecimento e o diálogo. “Fomentar a pluralidade de publicações e facilitar o acesso do leitor ao livro é uma das nossas principais propostas que trabalhamos nos últimos 120 anos. Celebramos nesta data especial e prospectamos para os próximos muitos aniversários que desejamos comemorar”, encerra.


20 livros para celebrar 120 anos de história

Em todos esses anos, o catálogo de publicações da Editora Vozes foi cada vez mais encorpado com grandes obras. Destas, foram selecionados 20 títulos que marcaram a trajetória da Editora até aqui e que ainda estão em catálogo, com três destaques especiais: Folhinha do Sagrado Coração de Jesus, Coleção Crescer em Comunhão e a Obra completa de C.G. Jung. A intenção é que, cada vez mais, a marca Vozes seja fixada na memória dos leitores, além de comemorar mais um ano de trabalho e de sucesso de publicações que promovem o conhecimento e a pluralidade de ideias, valores seguidos e fomentados pela Editora.


São elas: Minutos de sabedoria, Em busca de sentido, O Corpo Fala, Imitação de Cristo, Vigiar e punir, Ser e tempo, O ser e o nada, Sermões, O Livro Vermelho – Liber Novus, Brasil: nunca mais, Compêndio do Vaticano II, A Pedagogia, O céu começa em você, Jesus – Aproximação histórica, Jesus Cristo libertador, Qual é a tua obra?, A vida que vale a pena ser vivida, Sociedade do cansaço, Mitologia grega e A águia e a galinha.


Todas as obras foram minuciosamente selecionadas para contemplar as diversas áreas do catálogo de publicações da Editora. O livro Minutos de sabedoria, por exemplo, conquista diariamente seu lugar no mercado literário, figurando com suas mensagens de autoajuda nas listas de mais vendidos por muitos anos, tornando-se tradição para muitos leitores.


A águia e a galinha, de Leonardo Boff, quando publicada em 1997, deu início ao movimento proposto pelo selo de publicações Nobilis: grandes conteúdos e autores apresentados ao grande público com linguagem acessível. Desta alavancada viriam os best-sellers Qual é a tua obra?, de Mario Sergio Cortella e A vida que vale a pena ser vivida, de Clóvis de Barros Filho e Arthur Meucci, entre outros grandes nomes que se destacam no cenário da filosofia contemporânea. Entre eles, o sul-coreano Byung-Chul Han, que já tem mais de dez obras no catálogo e vem firmando-se como um dos maiores filósofos da atualidade. Representando a filosofia clássica, Martin Heidegger e Jean-Paul Sartre, com Ser e tempo e O ser e o nada, respectivamente.


Em Teologia, um dos carros-chefes da Editora, três representantes: Imitação de Cristo, Jesus Cristo libertador, Jesus – Aproximação histórica, Sermões e Compêndio do Vaticano II. Essa tríade é composta por obras que marcaram época e o cenário teológico no Brasil e no mundo, de acordo com o contexto de cada conteúdo.


Na lista, o livro A Pedagogia tem a responsabilidade de jogar luz no catálogo de Educação e Pedagogia, que conta com autores como Miguel Arroyo e Celso Antunes, para a formação de diversos profissionais através de suas obras.


Por sua característica técnica, O Livro Vermelho – Liber Novus, de Carl Gustav Jung, foi um marco para a Psicologia Analítica no Brasil. Depois do Livro Vermelho, a Obra Completa ganhou uma nova edição, acompanhada de uma luxuosa caixa.


O céu começa em você traz a importância da espiritualidade no catálogo Vozes. Sem pretensões de julgar ou definir o que é certo ou errado, diversas publicações que seguiram a pioneira obra de Anselm Grün, vêm durante os anos apresentando-se como conteúdos de extrema relevância para se espiritualizar e promover momentos de reflexão.


Publicar Brasil: nunca mais – e trazê-lo para a lista comemorativa de 120 anos da Editora – pode ser considerado, antes de tudo, um ato de coragem. A obra, representativa por si e pelas demais publicações semelhantes do catálogo, reforça a história da Vozes pela luta contra o regime autoritário e pelos direitos humanos.


Encerrando a lista, os livros Em busca de sentido, O corpo fala, Vigiar e punir e Mitologia Grega (box) representam, claro, suas áreas no catálogo, Psicologia, Sociologia e História, respectivamente, porém, são três títulos que conquistam leitores além de suas formações acadêmicas. Autodidatas, interessados em ciências sociais, no ser humano e suas peculiaridades, e o público que aprecia um texto culto e encorpado estão na lista dos leitores dessas obras.

2 visualizações0 comentário

Siga nossas redes sociais

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

“Cristo é simultaneamente o conteúdo e a fonte do que a Igreja comunica ao proclamar o Evangelho”.

 

Aetatis Novae, Instrução Pastoral do Pontifício Conselho Para as Comunicações Sociais.